segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Hostel way of life

Viver em um hostel (ou albergue) é uma experiencia bastante interessante.
Aqui é uma casa grande, com varios quartos e varios banheiros. Uma sala de tv, uma cozinha, uma area para fumantes e uma recepçao que também é um bar. Também tem uma mesa de Pool. Nao é sinuca nem bilhar, é pool.
Montevideo é uma cidade turistica. Tem muitos predios bonitos, museus indigenas, praias (nada comparado a Maceió) e a proximidade com Buenos Aires, Argentina. Os gringos que decidem viajar pela America do Sul, sempre dao uma passadinha em Montevideo depois vao a Punta del Leste. Todos os dias tem gente entrando no hostel, se hopedam por 2 ou 3 dias e depois se vao. No meu quarto tem 6 camas. Agora estao 2 franceses e um alemao. Parecem que vao ficar por uns dois meses. Da outra vez fiz amizade com um peruano que chorou na despedida. Me disse: Max nem em Peru eu tenho amigos assim como você. Era a primeira vez que ele viajava e fazia 2 semanas que só comia comida pronta ou sandwiche. A gente aprendeu a cozinhar varias coisas juntos. Eu que nao sei fazer miojo, incentivei a arriscar ingredientes fazendo fideo con tuco. Na noite da pespedida do peruano eu tava usando a camisa da seleçao do Brasil e num momento, embriagado e orgulhoso de os Brasileiros serem tao amigos lhe presenteei a camisa da seleçao. ¬¬ Quando eu for a Peru tenho onde dormir sem pagar aluguel.
Voltando ao assunto, onde eu moro chega gente e vai gente todo dia. Isso significa privacidade zero. Nao tem chave na porta do quarto. Entra e sai gente a qualquer hora. Debaixo de cada cama tem um caixote onde vc pode guardar suas coisas de valor etc. Ou seja, nao se pode esquecer de nada do lado de fora por quê se te roubam nao tem como acusar a ninguém. Outro dia sumiu um tenis e um paraguayo. (Um paraguayo se hospedou por 2 dias e levou o tenis de um cara de outro quarto, uma cueca minha (que tava lavada no varal).
Já sumiram uma maquina fotografica e dois celulares. Mas se vc lembrar de guardar tudo bem guardado nao tem problema nenhum.
Com essa rotatividade de gente chegando e saindo. Geralmente gente que está de férias e de passeio. Esse povo que passa por aqui pelo hostel quer mais é festa.
Chega um grupo (geralmente duas ou tres) de pessoas holandesas ou alemas ou qualquer outra parte do mundo, querendo se divertir, farrar, as mulheres querendo provar e comprovar a fama dos homens latinos. É festa que nao acaba mais. (praticamente todo dia) Todo los días de joda. O negocio é saber quando é o ultimo dia delas aqui. Sabendo isso...

3 comentários:

Milton Guedes disse...

kkkk, Dueeeeente, arruma um emprego de barman no bar do Hostel...rsrsrsrs
Tá do jeito que tu queria aí né fiii djaaa...um abraçoe use camisinha, e máscara contra suína!!! té mais!!

nessa disse...

max, nem um peru!

Joelma disse...

Cara que inveja..
Aproveita muito,deve ser mto massa viver num albergue,tirando a falta de privacidade.
Bjus :)